quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Singelo, porém megero

Em um belo dia acinzentado, nuvens soprando como aves rapinas ao horizonte, James um petulante simpático com semblante frio e hostil, uma simples vitima do dia-a-dia cruel de uma grande cidade, adentra como de costume em uma casa que lhe muito acalenta. O cabaret  “maison de râler”.
Ao aterrissar no paraíso que lhe satisfaz, encontra-se com um velho amigo na porta, o conhecido “Moustache”, este oferece o preço amigo para entrar no ambiente, dez meréis  mais um drinque a sua escolha, pois bem, conversam um pouco, comentando sobre curiosidades da noite alheia, quando James, já com sua calça apertando, sente um imenso frio descendo abaixo de sua espinha dorsal, sim este é o momento de adentrar ao covil dos leões.
Entrando ao som de um belo tango argentino, começa a perceber, que tudo que faz em sua vida é para ter o gostinho daquele belo, estonteante e excitante momento, garotas das mais variadas raças e credos ao seu redor, abusando, provocando e o melhor suplicando por momentos de prazer.
Como de costume, fica ao bar, testando-se da maior quantidade de femêas do local,  quando então, todo aquele ambiente escuro e sombrio, fica branco como uma pluma e ao horizonte localiza a presa, uma bela conhecida como “Nina”, negra, 1,78, pernas longas, cabelos cacheados, um perfume cítrico do mais temperado limão que acolheste.
James a convida para subir, paga uma valor ilusório de 200 suados e trabalhados meréis, sobe, ao entrar no quarto Nina empurra-o na cama, abaixa sua braguilha com uma intensidade digna de uma profissional e então começa a sugar profundamente o cacete de James, sugando como uma bela donzela suas bolas enquanto lapida a cabeça de sua rola com as mãos, James então em um súbito momento, coloca-a na cama de bruços e passa a penetrar lentamente sobre seu corpo esbelto e singelo, como um garanhão faz ao conquistar a mais bela do rebanho, e ficam por minutos aproveitando deste momento.
Minutos se passam e ambos estão suados, cansados, porém sedentos por prazer e numa jogada de mestre Nina monta-se em cima de James e passa a galopar sobre seu corpo, galopando como uma virgem que acabaste de perder seu singelo grelinho numa jogada do destino, após algum tempo James pede, e Nina acata, então de joelhos James começa a lambuzar a face de Nina com suas bolas temperadas ao mais suculento molho vaginal, a cena poderia ser digna de uma quadro pintado por Picasso ou uma música desenhada por Mozart , porém o momento é daqueles em que será lembrado por dias, meses, anos, acalentados e perversos porém satisfeitos e prazerosos.
O tempo passa como se horas fossem dias e os dias anos e num breve segundo escuta-se um sinal, sim o tempo acabou e James não se dera conta de que o creme ainda fazia parte de seu corpo, então vagarosamente pede para que Nina raspe a cabeça de seu pau com o céu de teus lábios e a ponta de tua língua, a técnica é infalível e num súbito arrepio, sente os flocos de neve não mais fazerem parte de seu corpo mas sim do rostinho delicado e ingênuo de Nina.
Satisfeitos e cansados com a viagem, ambos lavam-se, colocam teus panos e num alvejar de dedos James saca uma gilete e perfura por diversas vezes o pescoço de Nina, se a vida vale a pena e a morte faz parte da vida, morrer também irá valer a pena, então James sequencialmente perfura seus pulsos e deita-se no chão para então preparar a mente para a mais louca viagem que já pensou em fazer “sexuels avec des prostituées illimitée en enfer“.

Por: Codinome Beija-Flor

Nenhum comentário:

Postar um comentário